Fertilização in vitro (FIV): O que você precisa saber sobre o procedimento

O FIV nem sempre dá o efeito desejado. Para aumentar as chances de conceber e ter um filho com sucesso, os futuros pais (não apenas mulheres, mas também homens) devem seguir regras bastante rígidas. O médico lhe dirá em detalhes na consulta. Mas para que os pacientes estejam mais bem preparados para o procedimento de FIV, decidimos colocar neste artigo algumas recomendações de um ginecologista.

Devo ter medo da FIV?

A paciente passa por estimulação ovariana hormonal, e os óvulos são extraídos. Esse procedimento pode causar medo e desconfiança – essa é uma reação psicológica normal a uma intervenção bastante complexa no corpo.

No entanto, você não deve ter medo da FIV. Esta técnica tem sido utilizada na medicina há várias décadas e está bem estabelecida. Se for realizado por um médico qualificado em uma clínica renomada e bem equipada, os riscos de complicações e reações adversas são minimizados.

Antes do procedimento de Fertilização in vitro, os pacientes passam por uma consulta com o especialista. Para mulheres submetidas a um procedimento de estimulação hormonal, os tipos e doses apropriados de medicamentos são selecionados individualmente.

Qual é a eficácia da FIV?

Pacientes submetidos à Fertilização in vitro pela primeira vez geralmente esperam um resultado positivo na primeira tentativa. A probabilidade de engravidar com a FIV e depende de muitos fatores:
Condições do casal;
Idade da paciente;
Reserva ovariana;
Qualificação do médico que realiza o procedimento;
Uso de tecnologias reprodutivas adicionais;
Qualidade dos gametas e embriões, etc.
Se a primeira tentativa de engravidar falhar, o médico realiza exames adicionais para descobrir por que a fertilização in vitro não funcionou na primeira tentativa.

Como se preparar para a Fertilização in vitro?

A preparação para a FIV deve começar meses antes do ciclo em que o procedimento está planejado. Você deve primeiro marcar uma consulta com um médico – ele reavaliará os resultados dos exames e, se necessário, prescreverá outros adicionais para esclarecer o diagnóstico. Ele também responderá a todas as perguntas sobre o próximo procedimento e, em seguida, conversará com casal sobre os termos e consentimentos da FIV. Somente após a assinatura de todos os consentimentos e termos, o procedimento entra na fase ativa.

Os valores de uma Fertilização in vitro

Os valores da fertilização in vitro (FIV) podem variar de acordo com a clínica e a necessidade de exames que precisarão ser realizados. No programa FIV Para Todos oferecemos condições especiais, com valores até 40% menos que os praticados no mercado.

Quantas vezes a FIV pode ser feita?

A legislação brasileira não implica restrições ao número total de tentativas de fertilização in vitro. Em outras palavras, a mulher tem o direito de tentar se submeter ao procedimento quantas vezes forem necessárias para dar à luz um bebê saudável. Porém, segundo as normas da Resolução do CFM 2.294/2021, a idade máxima das candidatas à gestação por técnicas de Reprodução Humana assistida é de 50 anos. Claro que com algumas exceções, por isso a importância de conversar com o especialista no assunto.
No entanto, existem certas limitações médicas:

Se a fertilização falhar após várias tentativas

O médico pode tentar mudar a estratégia de tratamento, aplicar tecnologias reprodutivas adicionais ou usar o sêmen de um doador saudável.

Entre as tentativas de Fertilização in vitro

É necessário fazer uma pausa - geralmente em 3-4 meses. Isso é necessário para que o histórico hormonal da mulher se recupere após a estimulação ovariana e a terapia de manutenção.

Se, durante a preparação e realização do procedimento, um ou ambos os parceiros adoecerem com uma infecção

O tratamento em curso é interrompido e adiado até que se recuperem. Isso é necessário para reduzir o risco de complicações na gravidez.

Uma clínica de reprodução deve avaliar a condição de ambos os pais, sendo capaz de ajudá-los durante todo processo. É por isso que ambos os pais devem passar por uma série de exames antes do procedimento.